Sindarq PB

 

Notícias

Obras do arquiteto Oscar Niemeyer viram patrimônio histórico nacional

08/06/2017

 O Ministério da Cultura determinou o tombamento de 27 obras públicas projetadas pelo arquiteto e urbanistas Oscar Niemeyer (1907-2012). Passam a fazer parte do patrimônio histórico brasileiro o Palácio do Planalto, o Palácio da Alvorada, o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal, o Itamaraty, o Museu de Arte Contemporânea em Niterói, o Sambódromo do Rio de Janeiro, o Conjunto do Parque Ibirapuera em São Paulo e a Casa de Chá em Belo Horizonte. Agora a preservação de todas essas edificações fica a cargo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Constitui patrimônio histórico elementos “cuja conservação seja de interesse público, quer por sua vinculação a fatos memoráveis da história do Brasil, quer por seu excepcional valor arqueológico ou etnográfico, bibliográfico ou artístico”. Segundo o Iphan, a medida representa uma consolidação do processo iniciado pelo próprio Niemeyer em 2007.

A decisão ratifica a importância de Oscar Niemeyer para a Arquitetura, brasileira e mundial. Seus traços sinuosos agregaram poesia à arquitetura. “É o arquiteto que construiu a obra mais diversa em toda a história da civilização humana, com sua presença inscrita em todos os continentes”, afirma o arquiteto e urbanista Cláudio Queiroz, professor da UnB e parceiro de Niemeyer em diversos projetos. “As colunas criadas por Niemeyer, a exemplo do Palácio Alvorada, são os feitos arquitetônicos mais importantes desde as colunas gregas, o primeiro grande tratado do Ocidente”.

“Niemeyer é indiscutivelmente a grande referência da arquitetura brasileira, está acima de qualquer crítica. Embora não seja perfeita, é uma obra soberba”, avalia o professor José Carlos Córdova Coutinho, um dos principais pesquisadores da obra de Niemeyer no Brasil. “Eles sempre perseguiu, confessadamente, surpresa, emoção, encantamento. Sua obra é espetacular, pois entende a arquitetura como espetáculo”.

Confira a lista completa das obras tombadas como patrimônio histórico: 
– Praça dos Três Poderes
– Congresso Nacional
– Conjunto do Palácio da Alvorada
– Palácio do Planalto
– Supremo Tribunal Federal
– Ministérios e anexos
– Quartel General do Exército
– Palácio Jaburu
– Palácio da Justiça
– Palácio Itamaraty e anexos
– Museu da Cidade
– Espaço Lúcio Costa
– Panteão da Liberdade e Democracia
– Teatro Nacional
– Memorial JK
– Memorial dos Povos Indígenas
– Conjunto Cultural Funarte
– Espaço Oscar Niemeyer
– Conjunto Cultural da República
– Edifício do Touring Club do Brasil
– Casa de Chá
– Pombal
– Capela Nossa Senhora de Fátima
– Casa das Canoas (Rio de Janeiro)
– Conjunto da Passarela do Samba (Sambódromo da Marques de Sapucaí)
– Museu de Arte Contemporânea – MAC (Niterói)
– Conjuntos do Parque do Ibirapuera (São Paulo), especificamente: a Grande Marquise, o Palácio das Nações (Pavilhão Manoel da Nóbrega), o Palácio dos Estados (Pavilhão Francisco Matarazzo Sobrinho), o Palácio das Indústrias (Pavilhão Armando de Arruda Pereira), o Palácio de Exposições ou das Artes (Pavilhão Lucas Nogueira Garcez, também conhecido como “Oca”) e o Palácio da Agricultura


ver outros geral